Avaliação Laboratorial no Pré-natal

A avaliação laboratorial no pré-natal tem como objetivo detectar condições que podem influenciar o desenvolvimento normal do feto durante a gestação. Vários exames podem detectar, mesmo em gestantes assintomáticas, condições prejudiciais ao feto que podem ser revertidas através da instituição de medidas terapêuticas eficazes.

 

1ª consulta:
- Hemograma (eritrograma)
- Grupo sangüíneo ABO
- Fator Rh
- Glicemia de jejum
- VDRL
- Sorologia p/ toxoplasmose IgG e IgM
- Urina rotina
- Urocultura
- HBsAg
- Sorologia para HIV


24ª a 28ª semana:
- VDRL
- Rastreamento p/ diabetes gestacional
- Sorologia p/ toxoplasmose nos casos de IgG não reagente na 1ª consulta
- Urina rotina


35ª a 37ª semana:
- Pesquisa de estreptococo do grupo B


No momento do parto:
- VDRL
- Teste rápido para HIV (se não houver sorologia anterior)
 

A determinação do grupo sanguíneo e fator Rh é importante no manejo das incompatibilidades ABO e Rh. A detecção precoce de infecções como Sífilis, HIV, toxoplasmose, hepatite B e infecção do trato urinário podem originar ações preventivas, diminuindo a chance de transmissão vertical dos agentes. O diabetes gestacional está associado a mal-formações, recém-nascidos grandes para idade gestacional e hipoglicemia neonatal. O controle estrito da glicemia materna diminui o risco de complicações. A pesquisa de colonização vaginal pelo estreptococos beta hemolítico do grupo B (Streptococcus aglactiae) deve ser realizada entre a 35ª e a 37ª semanas de gestação. A profilaxia com penicilina, reduz em 70% a chance de infecções neonatais graves pelo microrganismo.

 

Apesar de não haver medida profilática para evitar a transmissão vertical, as sorologias para rubéola, citomegaloviose, hepatite C e doença de Chagas, também podem ser feitas, com consentimento informado da gestante.

 

Exames que podem ser realizados no pré-natal, em situações específicas


1ª consulta:
- Sorologia p/ rubéola IgG e IgM
- Sorologia p/ citomegalovirose IgG e IgM
- Sorologia p/ hepatite C
- Sorologia p/ doença de Chagas (em regiões endêmicas).

 

REFERÊNCIAS
Assessoria Médica - Científica Laborclínica - Lab Rede
1. Sherwin JE et al. Maternal-fetal risk assessment and reference values in pregnancy. NACB Laboratory Medicine Guidelines. 1-75, 2006. 2. Kirkham C et al. Evidence-based pré-natal care part I. Am Fam Phys, 71(7): 1307-16, 2005. 3. Kirkham C et al. Evidence-based pré-natal care part II. Am Fam Phys, 71(8): 1555-60, 2005.