As alergias respiratórias

As alergias respiratórias, que clinicamente compreendem asma e rinite alérgica, caracterizam-se por uma reação de hipersensibilidade e resultam da interação de alérgenos ambientais com anticorpos IgE específicos.


Essas manifestações apresentam um caráter genético importante tendo, portanto, maior incidência em indivíduos com antecedentes familiares de alergia, sem preferência por sexo ou raça. Iniciam-se em qualquer faixa etária, porém, são mais freqüentes nas crianças e adolescentes, provocando grande impacto na qualidade de vida dos indivíduos afetados.


As alergias respiratórias são multifatoriais, causadas pela interação de fatores genéticos e exposição a fatores ambientais. As reações devem-se a mediadores químicos, que podem estar associados a mecanismos imunológicos ou não, que por sua vez podem interagir entre si durante uma crise de alergia. O mecanismo imunológico envolvido é mediado por anticorpos da classe IgE e o principal fator agravante ou precipitante das crises são os alérgenos ambientais (poeira doméstica, ácaros, fungos, epitélio, saliva e urina de animais, barata e pólens).


Para o diagnóstico de alergia respiratória é necessário determinação de anticorpos IgE específicos através de ensaios imunoenzimáticos, radioimunoensaios, entre outros.


Referência bibliográfica:


Galvão CES, Castro FFM. As alergias respiratórias. Rev Med (São Paulo). 2005 jan.-mar.;84(1):18-24. (Modificado)